1ª Câmara Criminal decide que PM envolvido em assassinato durante manobra de trânsito vá a júri popular

Caso ocorreu em Curitiba, em junho de 2017 – policial realizou sete disparos de arma de fogo contra o automóvel da vítima

Nessa quinta-feira (6/6), a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) decidiu mandar a julgamento no Tribunal do Júri um policial militar acusado de matar um motorista que, supostamente, atrapalhou a passagem da moto pilotada pelo PM – os fatos ocorreram em junho de 2017. A votação da tarde de hoje foi unânime.

O juízo de 1º grau havia absolvido sumariamente o réu por entender que, ao realizar os disparos, ele agiu em legítima defesa diante de uma tentativa de atropelamento. O Ministério Público (MP), na apelação apresentada ao TJPR, se posicionou contra a absolvição e pediu que o réu fosse a júri popular.

Em seu voto, o Desembargador relator destacou: “Não justifica uma manobra de trânsito mal feita culminar na morte de uma pessoa ou no disparo de tiros contra o veículo em que havia uma outra pessoa, em uma via de intenso movimento”. Os Desembargadores do TJPR cassaram a decisão de 1º grau afirmando que a alegação de legítima defesa deverá ser analisada em julgamento popular.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.